FCDL-ES lança campanha de prevenção à Covid-19

FCDL-ES lança campanha de prevenção à Covid-19

Para marcar o início da campanha, será realizado em 52 cidades capixabas o “Dia D de Conscientização”.

Estratégias para conter o avanço do novo coronavírus no Espírito Santo fizeram com que o comércio precisasse fechar as portas em meio à quarentena imposta pela pandemia. Alguns estabelecimentos suspenderam o funcionamento por um período e outros não suportaram o impacto da crise e encerraram suas atividades definitivamente.

Com o objetivo de estimular o setor a superar esse momento desafiador, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Espírito Santo (FCDL-ES) desenvolveu a campanha “Quando você se cuida aí, nosso comércio abre as portas aqui”, que será lançada na próxima segunda-feira (14) e conta com o empenho de quem tem papel fundamental na retomada da economia: o consumidor.

“O comércio já foi fechado várias vezes e o impacto para a economia e toda a população foi muito grande. É hora de deixar as questões políticas de lado e unir toda a sociedade em torno da prevenção do contágio, enquanto a vacina não chega para todos. Essa campanha vai mobilizar lojistas, funcionários e toda a sociedade para que o comércio não precise fechar as portas novamente”, disse o presidente da FCDL-ES, Celso Costa.

Para marcar o início da campanha, será realizado em 52 cidades capixabas o “Dia D de Conscientização”, quando representantes das CDLs de cada localidade farão ações no comércio local, com distribuição de bótons e cartazes nas ruas e estabelecimentos. A ação terá início simultâneo às 10 horas.

A ideia é fazer um reforço, junto aos lojistas e seus funcionários, sobre todos os cuidados a serem tomados no ponto de venda para evitar a transmissão da doença e torná-los multiplicadores desse conhecimento. Todas as informações também estão disponíveis no site www.seucomercioseguro.com.br.

Em paralelo, inicia-se também uma grande campanha em TV aberta, rádios, outdoor, portais de notícias e redes sociais para conscientizar a população em geral sobre a importância de cuidados, como uso de máscaras, limpeza das mãos, além da necessidade de evitar aglomerações e manter o distanciamento social.

A campanha conta com a parceria do Sebrae, do Sicoob e da Unimed, que vão aumentar ainda mais a capilaridade dessa grande conscientização, já que estão presentes em alguns municípios onde não há uma Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Mais para explorar

Deseja saber mais sobre nossas soluções

Vamos Conversar

Entidades Ligadas ao Setor Produtivo se Unem Para Divulgar Linha de Crédito Estadual Para Empresários de Cariacica.

Entidades Ligadas ao Setor Produtivo se Unem Para Divulgar Linha de Crédito Estadual Para Empresários de Cariacica.

Diversas entidades do setor produtivo de Cariacica se uniram ao Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) e Prefeitura de Cariacica para promover, junto às empresas do município, a linha de crédito recém-lançada pelo Banco, com recursos do Fundo de Proteção ao Emprego, para socorrer empresas de portes diversos que enfrentam dificuldades financeiras neste período de pandemia da Covid-19.

A Associação Empresarial de Cariacica (AEC), a Câmara de Dirigentes Lojistas de Cariacica (CDL), o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Cariacica (Sindilojistas Cariacica) e a Federação das Associações de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Espírito Santo (Femicro-ES) são algumas das entidades que participam desta iniciativa.

“Neste período de dificuldades que todo o setor empresarial enfrenta, a AEC e demais organizações parceiras se colocaram à disposição para ser um canal de comunicação com o Bandes e os empresários que necessitam acessar à linha de crédito”, afirma Alexandre Schubert, presidente da AEC.

Em reunião, as entidades definiram que usarão seus canais de comunicação – site, rede social e assessoria de imprensa – para fazer com que esta importante informação chegue a todos os seus associados e empresas do município.

O Fundo de Proteção ao Emprego está disponibilizando recursos da ordem de R$ 250 milhões. A linha de crédito faz parte do Fundo de Proteção ao Emprego e foi criada pelo Governo do Estado do Espírito Santo. A contratação exige documentação simplificada, com financiamentos a juros reduzidos, corrigidos pela taxa Selic. A carência será de 12 meses e o prazo de pagamento de até cinco anos.

Para ter acesso à proposta de financiamento de crédito emergencial é necessário entrar no site do Bandes e fazer o pré-cadastro, seguindo o passo a passo que apresentamos a seguir:

Acesse: https://www.bandes.com.br/Site

  1. Na página inicial, clique em Fundo de Proteção ao Emprego / Conheça mais. Em seguida, clique novamente na aba correlacionada.
  2. Faça o download da proposta de financiamento, imprima e preencha as informações necessárias a partir da página 3. Importante ressaltar que o empresário deverá enviar apenas uma solicitação de financiamento por CNPJ.
  3. Envie o formulário e documentações solicitadas para o e-mail: emergencial@bandes.com.br

Formulário:

Após impressão do formulário, é necessário preencher alguns dados, como:

  • Dados da empresa (Razão Social, CNPJ) e contato de pessoa de referência para o atendimento;
  • Quadro Cadastral para relacionar sócio e cônjuge, bem como participação na empresa;
  • Regularidade da empresa (anexar certidão negativa previdenciária, alvarás e licenças solicitadas);
  • Estrutura Administrativa e Organograma (tipo de administração, número de colaboradores atuais e projetados, etc);
  • Situação econômico-financeira (anexar as três últimas demonstrações contábeis e o balancete mais recente, com defasagem mínima de 90 dias, ou extrato do Simples);
  • Empresas optantes pelo Simples deverão apresentar extrato e também preencher quadro com projeção de resultados e capacidade de pagamento;
  • Descreva objetivos e como a pandemia impactou seu empreendimento (redução de receita, aumento de despesas, etc.);
  • Descreva Aspectos de Mercado (clientes e análise concorrencial) e Garantias (reais e pessoais);
  • Assine e envie para o e-mail: emergencial@bandes.com.br

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Mais para explorar

Deseja saber mais sobre nossas soluções

Federação De Lojistas Do ES Se Manifesta Contra “Quarentena” De Casagrande.

Federação De Lojistas Do ES Se Manifesta Contra “Quarentena” De Casagrande.

FCDL-ES é a favor da abertura do comércio, respeitando as normas de prevenção ao COVID-19. O posicionamento foi emitido em nota hoje à noite pelo seu presidente, Celso Costa (foto).

O Presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Espírito Santo (FCDL-ES), Celso Costa, assinou nota da entidade ,hoje, 19, para repudiar o fechamento do comércio pelo decreto do governador Renato Casagrande (PSB) “porque representará a falência de estabelecimentos com aumento do desemprego”, acentuou.

Celso Costa, na manifestação oficial da FCDL-ES, lembra que o comércio é quem move a economia do Estado e sempre praticou todos os protocolos e que o setor não é propagador do vírus. Ressalta que o estado falha no método, pois os trabalhadores que lotam os transportes coletivos levam o vírus, justamente, para quem fica em casa.

“O comércio de nosso Estado tem consciência de sua importância para o Estado e espera que o Estado também saiba desta importância, não só na hora de ser eleito como peça principal para a contenção do COVID-19, mas também, que precisa da atenção estatal com alguma contrapartida para minimizar as perdas enfrentadas com a pandemia” , frisa Celso Costa


NOTA OFICIAL DA FCDL-ES

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Espírito Santo, FCDL-ES, vem a público se manifestar acerca da “quarentena” decretada pelo Governo Estadual, o que nos seguintes termos:

É de conhecimento geral que o comércio é o maior empregador em nosso Estado. Também não é nenhuma novidade que o comércio vem seguindo rigorosamente os protocolos de saúde pública determinados pela Organização Mundial de Saúde- OMS, garantindo, assim, o funcionamento de suas atividades de forma segura e consciente.

“Portanto, somos contrários ao fechamento do comércio como forma mais eficaz de evitar o avanço da pandemia. Tal medida só contribuirá para o agravamento da crise econômica do nosso Estado e consequentemente para a quebra de alguns estabelecimentos e o aumento do desemprego”.

Entendemos que se toda a máquina pública, agora utilizada para fiscalização do comércio, fosse voltada para combater as aglomerações desnecessárias, não chegaríamos ao estágio atual. Faz-se aqui algumas indagações: Onde o risco de contaminação o é maior: no comércio onde as pessoas utilizam máscaras, onde existe álcool gel para higienização das mãos, onde é limitado o número de pessoas a serem atendidas, onde existem as marcações de distanciamento ou no transporte público, onde os veículos andam superlotados, onde não é respeitado o uso de máscaras. De que adiantam as pessoas não saírem de casa e obedecerem as normas se o empregado, se a empregada doméstica, enfrentam os ônibus superlotados e podem transmitir o vírus para quem está sem sair de casa? Será que se a máquina pública: Defesa Civil, Policia Militar, Guarda Municipal, fiscalização estadual e municipal voltassem seus esforços para evitar a superlotação no transporte público o efeito não seria mais satisfatório?

O comércio de nosso Estado tem consciência de sua importância para o Estado e espera que o Estado também saiba desta importância, não só na hora de ser eleito como peça principal para a contenção do COVID-19, mas também, que precisa da atenção estatal com alguma contrapartida para minimizar as perdas enfrentadas com a pandemia.

Enfim, tudo que o comércio quer é trabalhar, produzir, pagar seus impostos, manter seus empregados e sobreviver dignamente, mas para isto é primordial que possa manter as portas abertas.

CELSO LUIZ COSTA

Presidente da FCDL-ES

Presidente CDL Cachoeiro

 

Fonte: Folha do ES

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Receba nosso conteúdo no seu e-mail

O seu e-mail não será divulgado e nem repassado para terceiros.

Mais para explorar

Deseja saber mais sobre nossas soluções

Vamos Conversar

© 2021 CDL Cariacica • Todos os direitos reservados.

Desenvolvido com ❤ por

Vendas Online Superam Lojas Físicas Pela Primeira Vez Na Black Friday

Vendas Online Superam Lojas Físicas Pela Primeira Vez Na Black Friday

As vendas online atingiram 50,4% do total do volume transacionado na Black Friday, um crescimento de 12,9% se comparado ao mesmo período de 2019.

É a primeira vez, desde que a data se popularizou entre os consumidores no Brasil, que o volume de vendas em lojas físicas é superado pelo online, segundo balanço do Itaú Unibanco.

O crescimento das vendas online foi puxado principalmente por quatro setores: restaurantes (+88%), material de construção (+63%), drogarias e cosméticos (+37%) e lojas de departamento (+31%). Por outro lado, o volume de vendas nas lojas físicas caiu 27%, em relação a 2019.

Entre os novos meios de pagamento, o Itaú destaca o cartão virtual, que cresceu 153% em relação ao ano passado, e a maior utilização dos cartões com tecnologia contactless, que permitem transações por aproximação nas compras físicas.

Cada vez mais popular entre os brasileiros, a Cyber Monday, com promoções destinadas exclusivamente ao e-commerce, movimentou 8,5% a mais em faturamento esse ano, na comparação com a segunda-feira pós Black Friday de 2019.

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Receba nosso conteúdo no seu e-mail

O seu e-mail não será divulgado e nem repassado para terceiros.

Mais para explorar

Deseja saber mais sobre nossas soluções

Vamos Conversar

© 2020 CDL Cariacica • Todos os direitos reservados.

Desenvolvido com ❤ por

Caixa e Sebrae criam linha de crédito de R$ 7,5 bi para micro e pequenas empresas com faturamento inferior a 360 mil ao ano

A Caixa Econômica Federal (Caixa) anunciou, hoje (20), um convênio com o Sebrae para oferecer crédito a micro e pequenas empresas e microempreendedores individuais (MEI). A medida será operacionalizada por meio do Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), do Sebrae, e que oferece as garantias complementares.

A medida foi uma das demandas levadas pela CNDL ao governo federal em busca de apoio as micro e pequenas empresas com faturamento inferior a 360 mil ao ano, pelas quais ainda não tinham sido alcançadas pelas linhas de crédito anteriormente anunciadas, diante da crise causada pela COVID-19.

Para o presidente da CNDL, José César da Costa, anúncio da linha de crédito específico traz alívio ao setor, mas, precisa chegar com rapidez aos empresários, sobretudo aos micro e pequenos negócios, que representam mais de 90% das empresas do país.

“As medidas precisam chegar na ponta, principalmente aos micro e pequenos empresários. Ações importantes têm sido anunciadas, mas o empresário está aflito sem saber como e quando essa ajuda do governo vai chegar. Celeridade nesse momento é fundamental para a manutenção das empresas e de postos de trabalho”, destaca Costa.

De acordo com a Caixa, os empresários terão prazo de carência de até 12 meses para começar a pagar com taxas até 41% menores que as usuais do banco.
O microempreendedor individual poderá contratar até R$ 12,5 mil, com carência de 9 meses e prazo de amortização de 24 meses. A taxa de juros será de 1,59% ao mês.

Já as microempresas poderão contratar até R$ 75 mil, com carência de 12 meses e prazo de 30 meses. A taxa será de 1,39% ao mês.

As empresas de pequeno porte poderão contratar até R$ 125 mil, com carência de 12 meses e prazo de 36 meses. Os juros serão de 1,19% ao mês.

Segundo o presidente do Sebrae, Carlos Melles, a oferta de crédito pode atingir 42 milhões de pessoas. As micro e pequenas empresas e MEI interessados no acesso aos recursos devem acessar o portal da Caixa para manifestar o interesse.

“Vamos fazer um crédito assistido, que vai ser acompanhado administrativamente pelo Sebrae e pela Caixa Econômica”, disse Melles.

Como solicitar o crédito? CLIQUE AQUI e descubra!

Fonte: http://site.cndl.org.br/

Pequenas e médias empresas: como sobreviver ao Coronavírus (COVID-19)?

Os impactos do coronavírus para empresas menores podem ser amenizados. Veja o que fazer:

Os impactos do coronavírus na economia já são gigantescos, mas ainda não se sabe por quanto tempo a quarentena será necessária e qual será a extensão dos danos no longo prazo dessa parada forçada. Um fato é certo mesmo ainda no começo desse caminho desconhecido: será um grande desafio e com impactos imediatos, já que muitas empresas fecharam suas portas indefinidamente para o isolamento.

Nesse momento turbulento, a saída é usar artifícios que sempre fizeram parte da gestão do pequeno empresário, como criatividade, flexibilidade e muita resiliência. E, claro, em caso de necessidade, utilizar a poupança de emergência. “Ela deve ser usada com muito cuidado neste momento, apenas para cobrir os gastos inadiáveis. Se acabar, a saída é recorrer ao crédito bancário. Mas lembre-se: nada de cartão de crédito ou cheque especial”, diz Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Separamos abaixo algumas dicas para sua empresa sobreviver a este momento de instabilidade:

Redes sociais para vender

O uso intensivo das mídias sociais já é uma realidade para uma parcela significativa das pequenas empresas, que veem nelas um canal barato, de fácil utilização e que permite um contato direto com os clientes.

Com os impactos do coronavírus, é hora de utilizar esse canal ainda mais como uma plataforma de vendas. Para aumentar a visibilidade de seu negócio, além de patrocinar posts, você pode pensar em ações online que presenteiem o cliente. Academias, por exemplo, estão abrindo as aulas de maneira online para clientes e não clientes. Ao fim da quarentena, essa ação terá efeitos de prospecção.

Lembre-se: todo mundo está em casa, então o uso das mídias sociais provavelmente crescerá exponencialmente.

Delivery: opção para quem vende produtos

As empresas estão com as portas fechadas pela quarentena, mas nem por isso precisam parar de produzir e oferecer seu produtos. O delivery vem sendo uma solução prática e interessante para manter os clientes satisfeitos e conseguir segurar o fluxo de caixa.

Alguns setores, como o de alimentação rápida, podem experimentar até crescimento de faturamento nesse momento.

Quem já trabalha com entregas deve reforçar o cuidado e criar um protocolo de higiene para proteger do vírus os clientes e os funcionários do delivery.

Busque parcerias

As pequenas empresas podem apostar nas parcerias para tentar passar pela turbulência econômica na época do coronavírus. Uma padaria pode se juntar a outros fornecedores e montar uma cesta de café da manhã para entrega delivery ou para sorteio entre clientes que pedirem comida nessa modalidade, divulgando todas as marcas.

Pacotes de vendas

Quem trabalha com serviços ou venda de produtos pode apostar na divulgação de pacotes de venda para conseguirem adiantamento financeiro. Um salão de cabeleireiro, por exemplo, tem a opção de oferecer um pacote com cortes futuros (2, 3, 4) mediante um desconto para pagamento à vista.

Os cartões-presente também são úteis: o cliente pode comprá-los agora, com desconto, e deixar para usá-los mais à frente. Há várias alternativas que podem ser consideradas de acordo com o ramo do negócio.

É sempre importante lembrar que essas são medidas emergenciais para o fluxo de caixa não sofrer tanto no momento atual, mas que futuramente pode também haver impacto com essa antecipação de receitas. A boa gestão financeira será mais importante do que nunca.

Vendas online

Assim como o delivery, as vendas por e-commerce devem crescer muito com a quarentena obrigatória. Se você ainda não tem um site de vendas online, uma opção é enviar listas de produtos por e-mail ou Whatsapp com fotos e preços e tentar fazer a venda à distância.

Para quem já possui a estrutura de comércio eletrônico, a hora é de aumentar a atenção e oferecer o máximo possível de segurança, informações e facilidade para fechar os pedidos.

Trabalho remoto

Nem todos os ramos de pequenos negócios podem seguir o conselho de deixar a equipe em trabalho remoto, mas a ideia é muito boa e eficaz na época da quarentena. Hoje, há diversos programas e aplicativos que ajudam na gestão de tarefas, controle de acesso e compartilhamento de trabalhos online.

Além disso, pode ser uma boa experiência e uma oportunidade pra fazer do home office um dos métodos de trabalho adotados pelas empresas mesmo depois desse período.

Cortes de custos

Considere substituir matérias-primas ou insumos, caso tenham peso grande em seu orçamento, e tenha atenção também aos custos fixos, às vezes, deixados de lado porque já “estão no DNA” da empresa. Muitas vezes, há espaço para redução.

Negocie com fornecedores

Além da redução de custos, a negociação com fornecedores será inevitável para os pequenos e médios empresários. O aperto econômico vem em efeito cascata, então, o fornecedor certamente já sabe das dificuldades do mercado e precisa ser maleável com prazos, valores ou atrasos.

De olho nas dívidas e nos prazos

No dia 16 de março, a FEBRABAN emitiu um comunicado dos 5 maiores bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander) com o comprometimento de atender solicitações de aumento de prazo para pagamento de dívidas. A prorrogação será de 60 dias após os vencimentos originais das dívidas de clientes pessoas físicas, micro e pequenas empresas, abrangendo os contratos já em vigor.

As empresas devem entrar em contato com os bancos utilizado para conhecer as condições e como aproveitar a prorrogação de prazo. As regras são diferentes para cada instituição financeira.


“Os micro e pequenos negócios, em geral, não tem fôlego para sobreviver muito tempo em uma situação como essa, em que o fluxo de caixa fica interrompido pela falta de demanda. Sendo assim, pode ser inevitável a falta de dinheiro para pagar as contas. Se isso acontecer, a melhor saída é negociar com o credor. Aproveite o adiamento dos prazos para ter um pouco mais de fôlego”, recomenda Marcela.

Aproveite as sinalizações do governo

As atualizações são quase diárias em relação a pacotes e medidas com reflexo econômico propostos pelo Governo. Para os pequenos empresários, a prorrogação do Simples Nacional foi anunciada no último dia 18. Há ainda prorrogação do pagamento de FGTS e uma medida provisória que altera temporariamente as relações entre patrão e funcionário.

Fique atento – acompanhe as medidas divulgadas nos portais oficiais e saiba qual a melhor forma para direcionar os esforços e passar por essa fase da melhor forma possível.

Fonte: meubolsofeliz.com.br

Pontos pleiteados pela CNDL e UNECS são contemplados em Medida Provisória

Informamos que pontos pleiteados pela CNDL e UNECS foram contemplados na Medida Provisória nº 927/2020, editada ontem (22) pelo Governo Federal. A MP traz regras trabalhistas para enfrentamento da calamidade pública em função da COVID-19 (Pandemia de Coronavírus).

Pela MP, os acordos individuais entre empregado e empregador terão mais força que os acordos ou convenções coletivas de trabalho, ou seja, são superiores a própria CLT, tendo a Constituição Federal como limite. Também, de forma unilateral, pode determinar medidas emergenciais, como o teletrabalho (home office), a concessão de férias coletivas, a antecipação de férias individuais, o aproveitamento e antecipação de feriados.

A MP suspende também a exigibilidade do FGTS referente às competências de março, abril e maio de 2020, independentemente do número de empregados, adesão prévia ou atividade econômica desenvolvida.

Quanto aos exames médicos, durante a calamidade, apenas será exigido o demissional, estando dispensado os demais (ocupacionais, clínicos ou complementares).

DESTAQUES
Teletrabalho: poderá ser implantado independentemente de acordo, exigindo apenas um aviso de 48 horas de antecedência.

Férias individuais: antecipação de férias vincendas de período não inferior a 5 dias corridos ainda que o período aquisitivo não tenha transcorrido. Será feito mediante aviso com 48 horas de antecedência, por meio escrito ou eletrônico, indicando o período a ser gozado.

Férias coletivas: fica dispensada a comunicação prévia aos Sindicatos e do Ministério do Trabalho, não se exigindo ainda a aplicação do limite máximo de períodos anuais e o limite de dias corridos previsto na CLT.

Aproveitamento e antecipação de feriados: o empregador pode antecipar feriados desde que não religiosos, que exigem concordância do trabalhador. Deve informar com antecedência de 48 horas, podendo ser por escrito ou eletronicamente com indicação dos feriados aproveitados.

Banco de horas: durante o período de interrupção das atividades pelo empregador fica permita a compensação por meio de banco de horas, por um período de até 18 meses, contados do encerramento do estado de calamidade pública e respeitando o limite de até duas horas extraordinário por dia.

Como agir em casos de inadimplência

pessoa em contato com outras pessoas

Para tentar evitar ou amenizar o problema, uma dica é cadastrar cada cliente. Conhecendo cada um é possível fazer vendas mais conscientes e fugir de contratempos. Para isso, é fundamental manter os dados sempre atualizados, inclusive com o histórico de compras e pagamentos. Essa é uma forma de fugir de maus pagadores.

Se possível, facilite o pagamento, mesmo que isso signifique acréscimo de taxas para a empresa. Eduque os clientes para aderirem a essas novas formas. E lembre-se que o profissionalismo vale também para amigos e familiares. 

Outra dica é consultar os órgãos de proteção ao crédito. Essa prática pode oferecer mais segurança nas vendas, principalmente a prazo.

Busque referências comerciais

Não sinta vergonha de buscar referências comerciais. Mas atenção! Mesmo que a relação do cliente com outro empresário seja boa, isso não significa que é uma regra e vai valer pra você. Fique de olho!

Para facilitar, crie uma agenda de cobrança. Recebemos muitas informações diariamente e não é difícil alguma situação acabar caindo no esquecimento. Por isso, anote as datas de vencimento e os valores. Pode ser que seu cliente simplesmente tenha deixado passar a data e você pode lembrá-lo. 

Não tenha medo de ser assertivo na cobrança. O cliente precisa sentir firmeza e seriedade, mas sem perder a cordialidade. Defina em quais meios você vai estabelecer contato e não desrespeite o Código de Defesa do Consumidor. Pode ser por mensagem de texto, uma ligação, e-mail ou carta. 

Tenha o cuidado de não criar uma situação desagradável para o cliente. Procure ser amistoso e ouvir o que ocasionou o atraso no pagamento da dívida e o que pode ser feito para evitar que a situação se repita.

Como motivar funcionários

funcionarios felizes

Os funcionários são parte essencial de uma empresa. Seu bem-estar no ambiente de trabalho é fundamental para o alcance de metas, crescimento, ideias inovadoras e mais atitudes que vão contribuir para a instituição.  Mas como motivá-los? Como fazer com que o interesse se mantenha, mesmo com a rotina e anos de trabalho?

Propósito para a equipe

Dar um propósito para a equipe é uma opção. Cada um deve saber a importância da atividade desenvolvida diariamente e como ela contribui dentro da empresa.

Faça feedbacks

Outra dica é fazer reuniões para apresentar bons resultados e também elogiar o trabalho que tem sido feito, não apenas para dar broncas. Mesmo conquistas aparentemente pequenas fazem toda a diferença e merecem ser celebradas. Esses encontros também são importantes para que os funcionários possam fazer parte do planejamento do que será desenvolvido. É muito mais interessante se dedicar àquilo que você sente identificação.

Conheça sua equipe

Outro passo é conhecer cada funcionário. É de extrema relevância para saber o que o motiva e o que o desanima. Também vale se inteirar do que ele espera no futuro dentro da empresa. Uma forma de motivar também é propor desafios com recompensas. Podem ser pequenos e a curto prazo, pois já são suficientes para dar um gás nas atividades diárias e sair da monotonia.

Estimule o aprendizado

Estimular a capacitação e a continuidade dos estudos é um jeito de valorizar o funcionário. Isso demonstra sua importância para a empresa e também sua possibilidade de se aprimorar cada vez mais. Existem muitas palestras e cursos gratuitos que têm muito a acrescentar na formação da pessoa e também para a empresa. 

Outra dica para motivar os funcionários é firmar parcerias com estabelecimentos próximos. Muitas empresas são parceiras de restaurantes, lojas, academias, escolas e outros. Isso facilita bastante a rotina do funcionário e até da família. Assim, podem usufruir de descontos e promoções. É vantagem para todos os envolvido.